20 de jun de 2011

Alerta Veterinário...

Hoje, iremos falar um pouco de Aves, uma parcela significativa dos meus atendimentos na Clínica Veterinária de Animais Silvestres.


As aves formam grupos de animais com uma gama variada de espécies, tamanhos, formas, cores e comportamentos.

Existem aproximadamente 9.680 diferentes espécies de aves no mundo. Encontra-se a maior parte delas na América do Sul.

A característica principal das aves é a presença de penas recobrindo seus corpos, bico e o fato de todas porem ovos.

Para a alimentação as mesmas possuem aparatos que auxiliam na captura, apreensão, deglutição, digestão e absorção, além da metabolização dos nutrientes.

Em 90% dos casos clínicos a que tenho acesso o que é muito perceptível, é a falta de orientação de um profissional gabaritado, o que acaba gerando transtornos ou até o óbito de animais.

A maioria são patologias relacionadas a stress ou a má nutrição.


A criação de aves em cativeiro pode levá-las a apresentar comportamentos não tão comuns quanto aqueles apresentados em natureza, uma vez que o cativeiro oferece às aves um ambiente diferente daquele para o qual elas estão adaptadas.

Para aves selvagens de vida livre, cada atividade é uma nova experiência, portanto, uma nova oportunidade de tomar decisões e aprender em cima das escolhas feitas.

Na natureza as aves passam a maior parte do tempo à procura de seus próprios alimentos, evitando seus predadores, procurando e disputando parceiros para acasalar; interagindo, portanto, com um ambiente dinâmico frente aos desafios diários. Já no cativeiro, as aves têm seus alimentos fornecidos e são protegidos contra interações competitivas.

Porém este ambiente pode comprometer o bem-estar, frente à previsibilidade, onde faltam desafios e imprevistos.

A ave sem estímulos físicos e mentais ou em condições que não permitam a expressão de comportamentos específicos (como escapar de algo que a incomoda ou amedronta) pode então apresentar comportamentos inapropriados ou mostrar-se entediada.

Um ambiente mais complexo e interativo deve ser criado para melhorar a qualidade de vida das aves mantidas em cativeiro, permitindo que assim elas possam apresentar comportamentos mais naturais.

Nós devemos oferecer as aves, oportunidades para que elas expressem seus comportamentos naturais. Além de promover desafios e novidades que simulem situações que ocorreriam na natureza, o ambiente deve oferecer oportunidade de escolha.

Portanto, antes de adquirir uma ave, tenha consciência que você deverá fornecer água e alimentos frescos diariamente, banhos de sol (pra a síntese de cálcio), e um local adequado (gaiola ou viveiro) para cada espécie.

Para escolher uma gaiola, tenha os seguintes pontos em mente:

• Ela deverá ser grande o bastante para acomodar sua ave de maneira confortável e segura. Resistente para durar o máximo de tempo possível, além de ter fácil acesso para mante-la limpa e para alimentar sua ave.

• Evite gaiolas redondas, pois ave não terá um canto para se proteger se sentindo sempre insegura e desorientada.

• A distância entre os arames deverá ser proporcional ao tamanho da ave, evitando fugas ou acidentes com cabeça ou pés presos nas grades.

• Tenha preferência por gaiolas com bebedores e comedouros externos, evitando assim o contato das fezes com os alimentos e a água.

A seguir um guia simplificado de alimentação para aves:

• Todos os dias: Frutas, Legumes (crus) e Verduras (preferência para folhas verdes escuras).

• Todos os tipos de sementes como girassol, painço, alpiste, arroz com casca, aveia em grãos, castanhas sem sal, pão torrado e cereais de milho (sem açúcar).

• Para suprir a necessidade de cálcio de seu pássaro, é aconselhável dar iogurte natural e queijo tipo frescal (atenção: nunca deixar na gaiola por mais de uma hora, pois podem estragar).

• Recomenda-se também para suprir as necessidades de proteína animal, dar uma vez por semana, Tenébrio Molitor (pequenas larvas deste inseto, desde que criadas com muita higiene).

• Lave sempre muito bem todas as frutas, legumes e verduras que você for oferecer a sua ave (deixar por 15 minutos de molho em 100 ml de água + 20 gotas de vinagre).

• Estas recomendações são para psitacídeos em geral, entretanto muitos podem não aceitar certo tipo de alimento, você deve insistir por mais alguns dias, mas se sua ave não se habituar, substitua por outras opções. Lembre-se, introduza novos alimentos com paciência, dê sempre alimentos frescos e ao final do dia retira-los. Um bom truque é colocar novos alimentos entre os que ele já está acostumado.

• Evite dar morangos e uvas com casca, pois possuem muito agrotóxico.


Atenção:

• Chocolate é prejudicial não apenas pelas calorias, ele contém “Teobrimide”, que é tóxico para cães e gatos, e pode ser fatal para aves, por serem menores e com metabolismo mais rápido, são mais suscetíveis aos efeitos tóxicos.

• Sinais de intoxicação por chocolate são: hiper-atividade, vômitos, diarréia, falta de coordenação, quedas e até morte.

• Outro alimento comprovadamente perigoso é o abacate, tanto a semente quanto a polpa.


Nunca dê para a sua Ave:

• Abacate,
• Alimentos muito salgados,
• Amendoim velho ou úmido,
• Café,
• Chá,
• Chocolate,
• Cogumelos,
• Refrigerantes,
• Bebidas alcoólicas,
• Sementes de frutas em quantidade como: maça, cereja, pêssego, pêra e ameixa.


Siga estas orientações e exercite a posse responsável.
Até logo.

Dr. Leonardo Tadeu Mattar Natividade
Médico Veterinário
CRMV/SP: 14.725

Consulte sempre um médico veterinário
Rua: Domingos de Morais nº. 1110 – Vila Mariana – São Paulo – Tel. 5572 - 9831

Post anterior: http://abcdosbichos.blogspot.com/2011/06/nova-estreia-no-blog.html

Foto: Arquivo Pessoal

Disqus for ABC dos Bichos